domingo, 11 de janeiro de 2009

Dezembros (Reescritura)


a todo o tempo
as coisas vêm

a um lume frio
zumbindo corredor fora

aos tantos cinemas
desta estação balnear

ex machina
(as coisas vêm)

infalivelmente aos fortes,
torres descosem

nuvens gordas de exílio;
um talho seco no céu

expediente duma aridez
incalculável

3 comentários:

marcosv disse...

a carta da torre
no tarô
netuno destrói
meio mastro
de pedra
mas igualzinha
isso aí
que você escreveu

( + o fim
do forte, infalivelmente
a torre
ruirá
- livro diz )

Rafael Vaz disse...

Acho esse calor que segue à toda movimentação extenuante e doído, como se houvesse uma obrigação de se fazer tudo agora.

Saudades, querido. Pra variar, estou de férias. Cervejas?

Teofrasto Bilenegra, na Academia disse...

Venho por meio desta, em nome da Municipalidade, comunicar ao Sr. Tirelli Neto, capitão de Fragata e Submarino e graduado com louvores no manejo de estetoscópios, microscópios e macroengenharia de botes, a nomeação de Detentor Vitalício das Chaves do Povoado de Água Santa.

O povo saúda, agradece e se dispõe às ordens.