sábado, 26 de setembro de 2009

A felicidade dos outros


você a toma surdamente

o cristalino dos olhos não faz
nada por sua força

em março ele não amou
nada que te acorresse à boca

em março nenhuma
aspiração tátil

você pensou como pesava
a seca de estrelas

fins de julho uma febre
que não oficinou coisa alguma

2 comentários:

Leonardo B. disse...

felicidade tem tons sépia... como dizia o agualusa acerca de outra ocasião, que "passado é futuro em contramão"... felicidade é assim, alegria espontânea em abundância... lá atrás na vida!

Um abraço

Leonardo B.
Bizarril

victor disse...

saio do meu costumeiro silêncio admirado para dizer que este é um que faz parte da minha antologia pessoal: "Boniteza".