quinta-feira, 20 de março de 2008

Alexandre O'Neill


"Nesta curva tão terna e lancinante
que vai ser que já é o teu desaparecimento
digo-te adeus
e como um adolescente
tropeço de ternura
por ti"
(Alexandre O'Neill, "Um Adeus Português")

3 comentários:

Me disse...

foda.

no hay otros paraísos que los paraísos perdidos. disse...

o alexandre é mesmo muito o'neill.

não tu não podias ficar presa comigo
à roda em que apodreço
apodrecemos

bb disse...

"amor amor meu big amor"
bateu fundo esse tambor