segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Quarto


olha não
muito fundo
presença
sem mundo
compare-se
ao chuvisco
que orvalha
a largada da noite

quase tudo
quanto existe
é um quarto

a intervenção frontal
duma imensa paisagem
que consegue ser a mesma
a todo o tempo à força
de nunca parar quieta

um pouco
quieto
fica – o mesmo
quer calar
a queixa
de não ser
panorâmico
mas não – não consegue
calar
de ver
e não ver
tudo (presença
sem mundo)

costados
da coisa um isto
que se agita
protesta reivindica
-se todo

guarda em silêncio
a linguagem que o carreia
para longe – possivelmente o Diabo

2 comentários:

izaeossuspeitosdesempre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pardal disse...

é como um silêncio.